Atari 7800

Com uma história um pouco enrolada, o Atari 7800 teve duas datas de lançamento, por duas empresas diferentes com dois anos de diferença.

3180 Acessos
Imprimir
Atari 7800
Para reverter o fracasso do Atari 5200, a empresa realizou uma pesquisa com os jogadores, para verificar o que eles queriam e não queriam em um novo console. Com essas respostas foi possível contratar a Computer Corporation (GCC) para a criação de um console que faria a Atari voltar ao topo. Ou quase isso.

O projeto Maria, como era conhecido, envolvia a criação de um processador gráfico novo, que seria o maior diferencial do novo console que, no momento, era conhecido como Atari 3600. Além do processador Maria, foi adicionado um velho conhecido da empresa, o chip TIA, do Atari 2600.

Com os dois processadores no sistema, o novo videogame da empresa seria lançado com total compatibilidade com os jogos do antigo Atari 2600 (que ainda estava no mercado), e sem a necessidade de dispositivos ou acessórios auxiliares.

Além dos processadores, dois acessórios se destacavam no console, um teclado que transformaria o videogame em um computador pessoal, e um cartucho especial chamado High Score Cartridge, que gravaria a pontuação dos jogadores nos diversos games do console.

Para evitar o excesso de jogos de baixa qualidade, foram adicionadas chaves no console e nos cartuchos para que o chip MARIA validasse e iniciasse o sistema. Caso a chave de um cartucho não fosse válida, o console só iria iniciar no modo 2600, não sendo possível rodar o jogo.

O resultado desse processo de criação foi mostrado ao público em junho 1984, quando o Atari 7800 foi lançado pela Atari Incorporated.

Infelizmente um grande acontecimento na Atari abalou as vendas do seu novo console. A empresa foi separada, ficando uma parte com seus donos atuais, a Warner, e outra com Jack Tramiel (fundador da Commodore International).

Assim que ocorreu a venda da empresa, o Atari 7800 parou de ser fabricado, isso por que houve problemas para decidir quem deveria pagar a empresa GCC, que criou o console. Somente nove meses depois foi decidido que Tramiel estaria com o débito.

Com o pagamento, finalmente o Atari 7800 estaria apto para seu relançamento, mas um novo problema surgia, a falta de jogos. Como a Nintendo possuía um contrato muito restrito com as empresas que lançavam os jogos para seu console, Tramiel recorreu novamente à GCC, que faria games para o videogame. Somente no final de 1985 o console estaria pronto para ser lançado

Quando a Nintendo lançou a versão americana do seu Famicom, Jack Tramiel viu o mercado dos games renascer, com isso decidiu lançar os dois consoles que estavam em suas mãos: Atari 2600 Jr. e Atari 7800. O problema é que era muito tarde, o Nintendo Entertainment System já liderava o mercado e, atrás dele, a Sega vendia seu Master System.

Em janeiro de 1986 a Atari Corporation relançou o Atari 7800 e, a empresa que um dia era a líder do mercado, estava em terceiro lugar.

Além da superioridade do NES, alguns problemas surgiram para atrapalhar ainda mais o 7800. O principal dele foi a falta de games novos, pois a maioria dos jogos lançados eram versões de fliperamas antigos, ou de títulos do 2600.

Outro grande problema foi o cancelamento do teclado e do cartucho de score, previamente anunciados para o console. Dois periféricos que tornavam o console diferente dos conhecidos até o momento.

Em janeiro de 1992 a Atari Corp. realizou um anúncio formal, descontinuando o Atari 7800 e vários outros produtos da empresa.



Redação: João Victor Martins
Tags: Console